Enter your keyword

Fique por dentro de tudo que acontece nessa terra maravilhosa!

22 de setembro de 2011

Professores da rede pública do estado agendam greve geral para 1º de outubro

Por uma diferença de R$ 70,00 nos salários, os 24 mil profissionais ligados ao Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Pará (Sinttep) decidiram entrar em greve a partir da próxima segunda-feira, 27. Cerca de 1.200 escolas públicas da Secretaria de Estado de Educação (Seduc) vão ficar sem aulas até que o piso nacional de R$ 1.187,97 para os educadores, estipulado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) seja pago integralmente. A decisão de interromper as aulas foi tomada durante assembleia.

O governo, na reunião com os professores realizada na semana passada, anunciou o pagamento de 30% dos R$ 97,00 para complementar a remuneração atual de R$ 1.090,00. Com a garantia de um aumento de apenas R$ 27,00 sobre os vencimentos, cujo piso passaria a oscilar entre R$ 559,69 e R$ 1.242,72, a categoria ficou insatisfeita e decidiu antecipar a paralisação marcada para o dia 1º de outubro, um sábado. No dia 27, os profissionais da educação vão se reunir às 9 horas na Praça Santuário, no bairro de Nazaré, e seguem em caminhada até o Centro Integrado de Governo (CIG), onde esperam ser recebidos por um representante do Estado.

De acordo com a coordenadora-geral do Sinttep, Conceição Hollanda, a greve servirá também para chamar a atenção da sociedade para as condições precárias de ensino e aprendizado proporcionadas nas escolas públicas do Estado. 'Queremos mostrar como o professor vem sendo desvalorizado. Estamos abertos ao diálogo, para resolver o problema, mas não vamos aceitar que o governo contrarie as leis, negando aos professores um reajuste mínimo que não ultrapassaria os R$ 100. Com o reajuste proposto pela Seduc, a diferença entre o salário mínimo e o de um professor iniciante na rede é de R$ 14,00', contabiliza.
Fonte: O Liberal

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Popular

Follow by Email