Pular para o conteúdo principal

Bolívia autoriza trabalho infantil a partir de 10 anos.

No Brasil, projetos tentam reduzir idade mínima de 16 para 14.

LA PAZ e RIO - O Congresso boliviano aprovou um novo Código do Menor, que fixa em 10 anos a idade mínima para o trabalho infantil, em casos excepcionais e cumprindo requisitos legais, informou à agência de notícias AFP um dos autores da lei nesta quinta-feira.
— O limite de idade definido de maneira formal pelo Código do Menino, Menina e Adolescente é de 14 anos, mas admite duas exceções: emprego assalariado, a partir dos 12 anos, que é o que permitem as convenções internacionais; e o trabalho por conta própria, a partir de 10 anos — disse o senador Adolfo Mendoza, logo após a aprovação da norma.

Para o procurador do Trabalho brasileiro Rafael Dias Marques, coordenador Nacional de Combate à Exploração do Trabalho de Crianças e Adolescentes, a lei boliviana é um “grande retrocesso no histórico dos direitos humanos”:
— Há o princípio de não retrocesso social. Não se pode reduzir patamares de direitos, só aumentar. O trabalho na infância representa um grande prejuízo ao desenvolvimento saudável da criança. Traz danos irreversíveis para a saúde e pode causar até morte. Essa iniciativa da Bolívia preocupa.
Também no Brasil há iniciativas que tentam reduzir a idade mínima para o trabalho. Tramitam na Câmara dos Deputados três projetos de emenda constitucional (PEC) reduzindo de 16 anos para 14 anos a idade mínima para o trabalho no Brasil.
Atualmente, a Constituição Federal só permite a contratação a partir dos 16 anos. Com 14 anos, o adolescente só pode trabalhar como aprendiz, com jornada limitada e adequada ao horário escolar. Trabalhos insalubres e perigosos só são permitidos para maiores de 18 anos. E no trabalho em minas, somente com 21 anos.

Os projetos foram agrupados e estão na Comissão de Constituição e Justiça nas mãos do deputado Paulo Maluf (PP-SP) para fazer o relatório. Uma audiência pública discutirá a questão, mas a data ainda não foi marcada.
Segundo o procurador Marques, as propostas de redução da idade mínima para trabalhar aconteceram também na legislatura anterior. Em 2009, foram cinco projetos com a mesma intenção, que foram arquivados ainda na Comissão de Constituição e Justiça.
— Na época, conseguimos argumentar que a idade mínima para o trabalho é estabelecido na Constituição como direito fundamental, portanto, uma cláusula pétrea, que não pode ser extinta ou ter seus direitos reduzidos.
Nas justificativas, a PEC 18 de 2011 propõe que o trabalho seja parcial, no máximo de 25 horas semanais, “o que representa uma jornada menor que a da aprendizagem”, que pode chegar a seis horas diárias. Os outros projetos não fazem essa distinção. Estabelecem apenas a permissão do trabalho a partir dos 14 anos, sem qualquer condição restritiva.

Procurado, o deputado Paulo Maluf informou, por meio de assessores, que só poderia falar sobre o assunto hoje.
No Brasil, há 3,5 milhões de crianças e adolescentes trabalhando. Desse total, 81 mil têm entre 5 e 9 anos. A cada mês, pelo menos uma criança ou adolescentes morre trabalhando no país.

'DECISÃO VOLUNTÁRIA DA CRIANÇA'
Na Bolívia, segundo o senador Adolfo Mendoza, o trabalho a partir dos 10 anos, deverá ser uma “decisão voluntária da criança”.
— É necessário também autorização dos pais, tutores ou guardadores e permissão da Defensoria da Infância. Assim, é feito um registro que é repassado ao Ministério do Trabalho — explicou o parlamentar.

Fonte: O Globo

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

CONCURSO PÚBLICO DE PORTEL OFERTARÁ 845 VAGAS

Após ter assinado um TAC - Termo de Ajuste de Conduta com o Ministério Público para realizar concurso público e nomear os aprovados até janeiro de 2019, a Prefeitura de Portel deve lançar na próximo dia 23 (sexta) o edital 001/2018 para a realização de concurso público que ofertará 845 vagas em diversos níveis de escolaridade.
O organizador do certame será o Instituto Ágata e o período de inscrição no concurso será entre os dias 28/11 e 30/12 no site www.institutoagata.com.br.
A provas serão marcadas para o dia 20 de janeiro de 2019.
Fonte: Marajó Notícias

ATUAL PRESIDENTE DA CÂMARA DE PORTEL DISPUTARÁ A PREFEITURA EM 2020

O vereador Moisés Moreira, do PSC, que até o próximo dia 31/12 é o presidente da Câmara Municipal de Portel, se colocará à disposição do seu partido para concorrer à Prefeitura de Portel em 2020. Empenhado na campanha para a eleição que aconteceu em outubro, o vereador realizou diversas reuniões em comunidades da sede e do interior do município, e nelas, por diversas vezes, foi intimado pelos comunitários a concorrer em 2020 para o cargo majoritário em Portel. De acordo com informações obtidas pelo blog, Moisés Moreira também tem recebido bastante apoio de amigos e lideranças politicas locais e regionais. Com mais de 20 anos de experiência no legislativo, chegou a hora do vereador se submeter a este desafio de governar uma das cidades com os piores índices sociais da região, mas com um potencial turístico, riquezas naturais e um povo muito trabalhador e ordeiro.

Fonte: Blog Marajó Notícias

PARLAMENTO JUVENIL MERCOSUL 2018

O Marajó tem uma candidata para representar nossa região. Enza Yasmin Melo Lima é do Município de Breves.

"Tenho 15 anos, moro em Breves no Pará e sou aluna do 2º ano do Ensino Médio Integrado no IFPA Campus Breves. Sou defensora dos direitos das crianças e adolescentes e membro do JUVA - Juventude unida pela vida na Amazônia. Ciente de meu papel como representante do Marajó, onde temos os piores IDH do Brasil, meu objetivo é representar nosso estado, nossa cultura, nossa identidade, nossos anseios e nosso desejo de uma educação de qualidade e gratuita para todos." Título do Projeto: A internet como ferramenta de integração para os alunos do Ensino Médio.

Resumo: O projeto visa à criação ou ampliação de um espaço informatizado com acesso a internet e profissionais qualificados. Uns dos requisitos era que o projeto contemplasse uma necessidade local e em nossa região marajoara esse espaços muitas vezes são inexistentes e os alunos da…