Enter your keyword

Fique por dentro de tudo que acontece nessa terra maravilhosa!

16 de fevereiro de 2012

MARAJÓ DE LUTO

Hoje pela manhã, com as queda de um avião bimotor na cidade de Cametá, morreu o Muanense Antônio (Alemão) funcionário da empresa Prossegur que fazia o transporte de valores para a região. O Avião caiu a poucos metros da cabeceira da pista e ao tocar o solo explodiu imediatamente. Os bombeiros chegaram logo após a queda mas não havia mais nada o que fazer.
O outro segurança da Prossegur que também faleceu na explosão do bimotor, é Nedson Barbosa, o "Monteiro". Nedson Barbosa era muito querido na cidade de Bagre, inclusive a sua banda "TomB" se apresentou no ultimo festival do Açai
O avião bimotor modelo Baron, de prefixo PT-LOU, que caiu na manhã desta quinta-feira (16), a poucos metros da pista do aeroporto de Cametá fazia transporte de valores, por isso, além do piloto e co-piloto, dois seguranças da empresa Prosegur estavam a bordo.
A aeronave, da empresa Norte Jet Táxi Aéreo, era pilotada por Carlos Eduardo da Silva Campos, 52 nos. Ele, o co-piloto Carlos Eduardo Arruda Brocca, 43, e os seguranças Deminedsom Monteiro Barbosa e Antônio Maria Miranda da Cunha, tiveram seus corpos carbonizados.
Segundo o major Quaresma, do Corpo de Bombeiros do município, o avião caiu por volta das 9h30, logo após a decolagem e, ao encostar no solo, explodiu. 'Chegamos rápido mais não tinha mais o que fazer, estava tudo destruído e os corpos carbonizados. Agora estamos esperando os peritos do Seripa e do IML', comenta.
Uma equipe do Núcleo de Abaetetuba do Centro de Perícias Técnicas Renato Chaves, foi deslocada para o local e fará a remoção dos corpos. Os peritos do Seripa (Serviço de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos) também são aguardados no local. 'Já fizemos o isolamento da área e agora é esperar as equipes chegarem', finalizou o major dos Bombeiros.
O Portal ORM entrou em contato com a Norte Jet, que informou que se pronunciará, ainda hoje, sobre o ocorrido. O avião, tinha capacidade para cinco passageiros e um tripulante.
A empresa Prossegur, de transporte de valores, informou que sabia da periculosidade do trabalho dos seguranças e que dará o apoio necessário a família dos vigilantes. Um deles era natural de Belém e outro do município de Muaná.

Fonte: Marajo Notícia, Redação Portal ORM
Fotos: Tarso Sarraf (O Liberal)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Popular

Follow by Email