Pular para o conteúdo principal

Professores da rede pública estadual desafiam a Justiça

Mesmo com a determinação judicial para que os professores da rede pública estadual encerrem a greve e retornem ao trabalho hoje, tudo indica que as cadeiras das salas de aula permanecerão vazias nesta segunda-feira. O Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Estado do Pará (Sintepp) já avisou que qualquer decisão sobre o encerramento da greve será tomada apenas em assembleia geral da categoria, que está marcada para hoje, às 9 horas, no Centro Social de Nazaré. Caso os professores não estejam em sala de aula hoje, a greve será considerada ilegal e o presidente do Sintepp estará sujeito a multa diária de R$ 25 mil. Além disso, se a categoria não voltar ao serviço, o Estado está autorizado a cortar o ponto dos grevistas a partir de hoje. Os professores que desobedecerem à decisão poderão, inclusive, serem submetidos à instauração de Processo Administrativo Disciplinar (PAD).

Segundo a coordenadora geral do Sintepp, Conceição Holanda, os professores não vão abrir mão de deliberar em assembleia e 'nenhuma decisão' será tomada sem o consenso da categoria. 'A data da nossa reunião foi remarcada quando o juiz divulgou que sua decisão sairia na segunda-feira. Amanhã (hoje), às 9 horas, vamos nos reunir e tomar uma posição', disse Holanda. Ainda de acordo com a sindicalista, a possibilidade de as aulas retornarem hoje é remota. 'Mesmo que a assembleia decida acatar a decisão judicial, creio que as aulas só retornariam nesta terça-feira (amanhã)', disse.

De acordo com Conceição Holanda, a decisão do juiz não correspondeu às expectativas da categoria. 'Não esperávamos que o juiz colocasse esse prazo de 12 meses para o pagamento da complementação do piso. É uma contradição do Judiciário não cumprir o que determinou a sua Suprema Corte', queixa-se a coordenadora. Na assembleia de hoje, devem comparecer professores de Belém e também de outros municípios. 'Precisamos definir esta situação, mas não há como prever se a categoria vai acatar ou não a decisão. Estamos preocupados com o corte do ponto e com a possível abertura de PAD, pois isso não é bom para os profissionais', ponderou.

Fonte: O Liberal

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

CONCURSO PÚBLICO DE PORTEL OFERTARÁ 845 VAGAS

Após ter assinado um TAC - Termo de Ajuste de Conduta com o Ministério Público para realizar concurso público e nomear os aprovados até janeiro de 2019, a Prefeitura de Portel deve lançar na próximo dia 23 (sexta) o edital 001/2018 para a realização de concurso público que ofertará 845 vagas em diversos níveis de escolaridade.
O organizador do certame será o Instituto Ágata e o período de inscrição no concurso será entre os dias 28/11 e 30/12 no site www.institutoagata.com.br.
A provas serão marcadas para o dia 20 de janeiro de 2019.
Fonte: Marajó Notícias

ATUAL PRESIDENTE DA CÂMARA DE PORTEL DISPUTARÁ A PREFEITURA EM 2020

O vereador Moisés Moreira, do PSC, que até o próximo dia 31/12 é o presidente da Câmara Municipal de Portel, se colocará à disposição do seu partido para concorrer à Prefeitura de Portel em 2020. Empenhado na campanha para a eleição que aconteceu em outubro, o vereador realizou diversas reuniões em comunidades da sede e do interior do município, e nelas, por diversas vezes, foi intimado pelos comunitários a concorrer em 2020 para o cargo majoritário em Portel. De acordo com informações obtidas pelo blog, Moisés Moreira também tem recebido bastante apoio de amigos e lideranças politicas locais e regionais. Com mais de 20 anos de experiência no legislativo, chegou a hora do vereador se submeter a este desafio de governar uma das cidades com os piores índices sociais da região, mas com um potencial turístico, riquezas naturais e um povo muito trabalhador e ordeiro.

Fonte: Blog Marajó Notícias

PARLAMENTO JUVENIL MERCOSUL 2018

O Marajó tem uma candidata para representar nossa região. Enza Yasmin Melo Lima é do Município de Breves.

"Tenho 15 anos, moro em Breves no Pará e sou aluna do 2º ano do Ensino Médio Integrado no IFPA Campus Breves. Sou defensora dos direitos das crianças e adolescentes e membro do JUVA - Juventude unida pela vida na Amazônia. Ciente de meu papel como representante do Marajó, onde temos os piores IDH do Brasil, meu objetivo é representar nosso estado, nossa cultura, nossa identidade, nossos anseios e nosso desejo de uma educação de qualidade e gratuita para todos." Título do Projeto: A internet como ferramenta de integração para os alunos do Ensino Médio.

Resumo: O projeto visa à criação ou ampliação de um espaço informatizado com acesso a internet e profissionais qualificados. Uns dos requisitos era que o projeto contemplasse uma necessidade local e em nossa região marajoara esse espaços muitas vezes são inexistentes e os alunos da…